19.10.05
Numa certa freguesia do concelho de Odemira, como em tantas outras freguesias, como em tantos outros concelhos do Sul, tem vindo a ocorrer uma desertificação do seu território, motivado pela procura de melhores condições de vida dos seus antigos habitantes. As suas antigas casas de taipa foram-se degradando com o abandono, e algumas foram-se desmoronando com o passar dos anos, outras ainda aguentam em pé, resistindo até ao dia em que, também elas, sejam reduzidas a escombros pela acção das forças da Natureza. Tudo isto é muito bonito (ou então não...), e seria perfeitamente normalíssimo...
... se, na dita freguesia, algumas dessas ditas habitações não tivessem electricidade até à porta. Colocada DEPOIS dos moradores terem abalado de lá.

Mas vamos por partes. Provavelmente, muita gente se perguntará o porquê deste texto aparentemente sem sentido, mas tudo tem uma explicação lógica. Tão lógica que merecia ir para o "Nós Por Cá" da SIC. Para acrescentar mais uma acha a essa grande fogueira anedótica chamada Portugal.
Pois então, nessa dita freguesia, onde vivem uns quantos velhotes espalhados pela serra nos seus montes, a electricidade tem sido uma velha reivindicação, pois apenas nos aglomerados mais populosos (entenda-se: quatro, cinco casitas com estrada alcatroada ao pé) ela existe (aqui há tempos, a Câmara, numa medida de "boa-vontade" - não, não me lembro se era ano eleitoral - colocou luz em muitos montes. Luz... solar. Da que não dá para ligar um frigorífico, ou algo que contenha uma resistência), e para guardarem carne, peixe ou outros bens perecíveis, têm de pedir a um conhecido/familiar que tenha uma arca - e electricidade - para a guardar, o que, sem dúvida, é incómodo. No entanto, este ano, a Câmara acordou em electrificar alguns montes (porquê alguns?) nas imediações dum barranco (no que foi, oficiosamente, chamado de PEBL - Plano de Electrificação do Barranco do Laranjeiro). E, pouco antes das eleições (oh, surpresa!), muito monte passou a ser iluminado. Até mesmo os que já estão a cair aos bocados.
O que me revolta, no meio disto tudo, é que ficou ainda muito boa gente a precisar de iluminação e electricidade para os seus afazeres... e a Câmara decidiu que as casas sem moradores é que precisavam de ser iluminadas! Quem é que precisa de luz lá? As osgas? Os morcegos? As lagartixas? Tenham bom senso, por favor!

Boas iluminações.

(este post foi feito em dias diferentes. Se parecer que há um desfasamento a partir de certa parte, não se admirem: fui eu que me perdi em rodriguinhos. Enfim)
disfunção original de Rodolfo Dias às 00:27
 O que é?

Bem... mas afinal qual é o espanto? Estamos em Portugal! Não estamos em nenhum país de terceiro mundo, estilo inglaterra ou estados unidos que têm electricidade em todo o lado!

Se não fosse assim, não era a tradição portuguesa!
Skeptikal a 20 de Outubro de 2005 às 00:27

Twitter button
Este web-log não adopta a real ponta de um chavelho. Basicamente, aqui não se lê nada de jeito. É circular, c...!
Twitter
enviar spam
Outubro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


vasculhar
 
Disfunções mais velhas que a sé de Braga
2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


Networked Blogs
origem
blogs SAPO