08.06.08

Quem me segue e me conhece mais atentamente, sabe que, ultimamente, tenho andado a seguir com especial atenção o estado da ferrovia portuguesa. E, nos últimos tempos, existe uma situação que tem andado muito na boca do povo: a situação da Linha do Tua.

A linha de via métrica ou estreita (via estreita por que a distância entre carris é inferior à da  maioria da restante rede ferroviária portuguesa, que é de 1668 mm; métrica porque, já se adivinha, essa distância é de 1000 mm) que, num passado não muito distante, ligava a aldeia do Tua a Bragança, e que hoje em dia só está em funcionamento até Carvalhais, no concelho de Mirandela, está em funcionamento desde 1887, numa altura em que a tracção a vapor era raínha e senhora. A paisagem que se avistava (e avista, ainda, nos dias de hoje) é algo indescritível, ao ponto de ser considerada uma das mais bonitas linhas ferroviárias do mundo.
Só que, se falarmos a alguém na Linha do Tua, esse alguém de certeza que vai meter as mãos à cabeça e fugir a sete pés (OK, não será tanto assim, mas pouco falta).
Em 2005, começou-se a falar na ideia de se construir uma barragem no Rio Tua. O que seria tudo muito giro... se não existisse uma pedra de permeio nesse projecto chamada "Linha do Tua". É que o projecto que está contemplado, mesmo tendo em conta a cota mais baixa possível, de 160 m, irá implicar sempre a submersão de parte do traçado da linha e o isolamento da mesma da restante rede nacional. Naquela altura, todos os autarcas da zona eram contra esse atentado. Só que...
A 12 de Fereveiro de 2007, acontecia o já tristemente célebre acidente que vitimou três pessoas e feriu outras duas, quando uma automotora que fazia a ligasção entre Tua e Mirandela descarrilou e se precipitou para o Rio Tua. o LNEC, esse mesmo, o que meteu o novo aeroporto de Lisboa (ou NAL) em Alcochete, atribuiu o acidente a um desprendimento de pedras que embateram na composição e a arrastaram para o rio.

A linha esteve encerrada durante muito tempo, para se arranjar esse pedaço de linha, e muita gente já dava a linha como fechada definitivamente e a barragem como certa. Até que, a 28 de Janeiro deste ano, a linha reabriu ao público. Com uma licença provisória, é certo, mas abriu.

No entanto não foi uma abertura sem percalços, uma vez que, dia 25, um maquinista que efectuava testes de circulação entre Mirandela e Abreiro descobriu um parafuso com cerca de 20 cm colocado entre os carris e que poderia provocar outro descarrilamento; e no dia 27, foi descoberto outro, desta feita entre Brunheda e Tua.
Bom, em relação à tal licença provisória, atribuída pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, esta caducava em Abril, para dar tempo à REFER e ao LNEC para acabar os estudos e as medidas de segurança exigidas; só que eles não o fizeram. E quando o IMTT ameaçou voltar a encerrar a linha, ambas lá fizeram um choradinho e o instituto lá acabou por adiar o prazo até 21 de Maio.
Só que, a 10 de Abril, uma máquina de manutenção de via (uma draisine) descarrilou entre Tua e Tralhariz, após o muro de sustentação da linha (ou seja, onde a linha está assente) ter-se desmoronado, provocando três feridos ligeiros. Mais um tempo de paragem, e a circulação voltou a ser restabelecida dia 23 de Maio.
E, no dia 6 de Junho, mais um acidente com uma automotora.


Uma composição que fazia a ligação Mirandela-Tua tombou para o lado, a um par de quilómetros do destino, provocando um ferido ligeiro. Os passageiros que seguiam dentro da automotora tiveram de fazer o restante da viagem a pé. E, já se está mesmo a ver, a circulação foi novamente suspensa. Só que desta vez, já foi descartada a hipótese da causa do acidente ter sido da infraestrutura. Ou seja, sobram como causas uma falha da automotora... ou intervenção externa. Ou seja, sabotagem. O que não me surpreenderia nada.
Afinal de contas, será só coincidência  que, sempre que a linha abre, pouco tempo depois volta a acontecer um acidente que provoca o encerramento da mesma? Juntando tantos "acasos" aos ditos parafusos que já foram encontrados, a história começa mesmo a cheirar muito mal...
Ah!, falta dizer uma coisa: as ideias dos autarcas da zona já mudaram completamente. De momento, apenas o presidente da Câmara de Mirandela e presidente do Metro de Mirandela, uma das duas empresas que utiliza a linha (a outra, obviamente, é a CP) é a favor da manutenção da linha e a defende como pode; todos os outros já acham que a barragem é o melhor para a zona... mesmo sabendo que muitas das pessoas que lá habitam não dispõem de mais nenhum meio de transporte.
Depois da gorada hipótese da barragem de Foz Coa, parece que, desta vez, se anda a fazer de tudo para a barragem do Tua não ir pelo mesmo caminho...

disfunção original de Rodolfo Dias às 19:15
 O que é?

Verdadeiramente assustador! Felizmente que não ando de comboio senão agora estava passava as viagens apavorada...
daplanicie a 15 de Junho de 2008 às 19:11

Twitter button
Este web-log não adopta a real ponta de um chavelho. Basicamente, aqui não se lê nada de jeito. É circular, c...!
Twitter
enviar spam
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29


vasculhar
 
Disfunções mais velhas que a sé de Braga
2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


Networked Blogs
origem
blogs SAPO